Pós-graduandos criam o INSECTUM – Grupo de Estudos em Entomologia da UFV

Grupo Insectum

“Sedentos por crescimento acadêmico, profissional e pessoal”, os estudantes da pós criaram o INSECTUM – Grupo de Estudos em Entomologia da Universidade Federal de Viçosa. Desde outubro de 2019, sob a orientação do professor Frederico Falcão Salles, o grupo de estudantes vem se reunindo quinzenalmente, no Departamento de Entomologia, para debater temas específicos da área. O objetivo do INSECTUM é expandir essas discussões e promover em breve palestras, cursos e simpósios.

INSECTUM1Criado para e pelos estudantes da Entomologia, o grupo conta atualmente com 18 membros: Adriana Helena Walerius, Álvaro Henrique Costa, Bruno Franklin Barbosa, Carlos Luis Neves Junior, Carolina Calderón Arroyo, Douglas da Silva Ferreira, Edwin Ernesto Dominguez Nuñez, Elenir Aparecida Queiroz, Giovana Mamani Huayhua, Jéssica Letícia Abreu Martins, Jhon Faber Marulanda Lopez, Johan Sebastian Perez Campos, Jose Jahir Morales Murillo, Juliana Lívia Vieira, Kárenn Christiny Pereira Santos, Lorena Lisbetd Botina Jojoa, Vanessa Farias da Silva e Walysson Mendes Gomes.

Para quem também deseja integrar esse time, será realizada seleção para escolha de novos integrantes. Por isso, é bom acompanhar o site e as redes sociais do INSECTUM e não perder nenhuma atualização. Por lá, o grupo divulga várias informações. Então acesse www.insectum.ufv.br e siga o Instagram @insectum.ufv , a página do Grupo no Facebook  e o Twitter @insectumufv.

Professora Leda Faroni contribui para o desenvolvimento do PPG em Entomologia ao longo de 27 anos

Leda Faroni 4

Após 27 anos de “contribuição na formação de profissionais com excelência no ensino, na extensão e na pesquisa pela atuação junto ao Programa de Pós-Graduação em Entomologia”, chegou ao fim a atuação da professora Leda Rita Dantonino Faroni como orientadora do PPG em Entomologia. Ao longo de sua carreira, a professora Leda vem desenvolvendo trabalhos científicos sobre “armazenamento de produtos agrícolas, ozônio em processos de descontaminação, detoxificação e remoção de agrotóxicos, controle de insetos-praga de grãos e subprodutos armazenados”, dentre outros temas. Com forte atuação na pesquisa, apenas na Entomologia UFV, ela orientou 15 estudantes de mestrado e seis de doutorado. Ao todo, considerando outros programas de pós-graduação, foram 50 orientações de mestrado e 39 de doutorado, até o momento.

Leda-FaroniProfessora do Departamento de Engenharia Agrícola, Leda iniciou a parceria com a Entomologia a convite do professor Evaldo Vilela, no ano de 1992, quando ela retornou do seu doutorado em Agronomia, na Universidad Politécnica de Valencia (Espanha). “Fui solicitada para criar uma disciplina voltada para controle de insetos-praga de grãos armazenados. Inicialmente, deveria ter o código BIO, mas o Departamento de Engenharia Agrícola, onde atuo, não concordou e assim a disciplina foi denominada ENG 674 – Pragas de Grãos Armazenados e Formas de Controle que, até pouco tempo, fazia parte das disciplinas da área de concentração da Entomologia”.

Dentre as pesquisas desenvolvidas ao longo desses anos no PPG em Entomologia, a professora Leda destaca “duas de grande relevância”: “Detecção de populações de Tribolium castaneum, Rhyzopertha dominica e Oryzaephilus surinamensis resistentes à fosfina, que além de aferição da existência de desvantagens adaptativas destas, na ausência da fosfina, correlaciona-se produção de CO2, massa corpórea e taxa instantânea de crescimento populacional; e Avaliação da toxidade do ozônio para diferentes populações de Tribolium castaneum, Rhyzopertha dominica e Oryzaephilus surinamensis resistentes e susceptíveis à fosfina e avaliação, através da taxa de desenvolvimento e de crescimento populacional, o custo adaptativo das possíveis populações resistentes”.

A parceria com a Entomologia foi encerrada recentemente, mas a professora do Departamento de Engenharia Agrícola segue atuante na pesquisa: “Além dos trabalhos voltados aos fatores que influenciam a perda de qualidade dos produtos agrícolas na pós-colheita e monitoramento e evolução dos níveis de resistência de populações de insetos-praga à fosfina, são desenvolvidas e/ou adaptadas tecnologias em substituição aos atuais métodos de controle de insetos-praga de grãos e subprodutos armazenados. Citam-se os trabalhos envolvendo: controle biológico com o ácaro Acarophenax lacunatus, os pós-inertes, o processo de fumigação com fosfina associada com dióxido de carbono, os óleos essenciais, o armazenamento hermético em silos bolsa, a fumigação com o gás ozônio em substituição à fosfina, tratamento de águas residuárias, descontaminação, detoxificação e remoção de resíduos de agrotóxicos com o gás ozônio em produtos agrícolas. Em geral, a atuação em pesquisa tem buscado o monitoramento, desenvolvimento e aplicação de tecnologias na pós-colheita para garantir a segurança e qualidade alimentar e o bem-estar humano, animal e do meio ambiente. Além disso, tenho contribuído para a comunidade científica, nacional e internacional, com revisões e pareceres técnicos em artigos e projetos de pesquisa, a convite de editores de periódicos e de agências de fomento”.

Leda Faroni 5

Confira o resultado da seleção de dois bolsistas para pós-doutorado

_DSC6576

Nesta quinta-feira, dia 19, foi divulgado o resultado da seleção de dois candidatos para pós-doutorado, com bolsas financiadas pela CAPES, através do Programa Nacional de Pós-Doutoramento (PNPD). Ao todo, 16 candidatos participaram do processo seletivo, sendo selecionados: Rodrigo Soares Ramos e Bárbara Monteiro de Castro e Castro.

 Resultado final na íntegra - Edital 03/2019 de Seleção de Bolsista PNPD/Capes

 A implementação das bolsas ocorrerá no período de 06 a 10 de janeiro de 2020.

Discentes do PPG em Entomologia elegem seus novos representantes

Vanessa e Douglas

Com o propósito de impulsionar o conhecimento e zelar pela saúde mental dos pós-graduandos, a doutoranda Vanessa Farias da Silva, do Laboratório de Acarologia, e o mestrando Douglas da Silva Ferreira, do Museu de Entomologia, assumem a representação discente na Comissão Coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Entomologia.

Dentre as propostas dos novos representantes estão: maior oferta de palestras de professores do Programa e de fora, eventos que complementem o aprendizado em entomologia e dar continuidade aos formulários de avaliação das disciplinas e do PPG em Entomologia. “Iremos trabalhar bastante para que o Programa seja um ambiente seguro e saudável. Existe a necessidade de melhorar a recepção dos calouros, principalmente, quando vindos de outras universidades, para que não se sintam perdidos e com isso possam desempenhar melhor sua capacidade de produção e melhorar cada vez mais o Programa”.

No que se refere à avaliação do PPG, realizada pela primeira vez neste ano de 2019, os estudantes destacam que o formulário do PPG em Entomologia será utilizado como modelo para outros programas de pós-graduação. Nesse sentido, a representação discente está dialogando com a Associação de Pós-Graduandos e a reitoria, auxiliando no estabelecimento de parâmetros, para que a experiência de avaliação discente da Entomologia sirva como base para a criação de um formulário oficial de avaliação para toda a pós-graduação da UFV.

Nessa missão, os novatos contam com o apoio e a experiência das representantes que os precederam, Juliana Lívia Vieira e Adriana Helena Walerius. Elas, que encerram o seu mandato agora, foram responsáveis por implantar a Avaliação Discente do PPG m Entomologia. Além disso, a dupla serviu de inspiração e incentivo para que Vanessa e Douglas se candidatassem à representação discente: “Juliana e Adriana foram nossas inspirações para criar coragem e participar da eleição. As meninas são extremamente competentes e realizaram um excelente trabalho. Vimos a necessidade de dar continuidade ao trabalho delas. Nós possuímos sede de mudanças e melhorias. Então, topamos o desafio”.

Desafio aceito, agora é hora de arregaçar as mangas e ajudar na construção de um PPG em Entomologia cada vez melhor. Para isso, os novos representantes contam com a participação de todos os estudantes, que podem contatá-los pessoalmente nas quintas-feiras, às 16h30min, na disciplina de Seminário, ou pelo e-mail discentes.entomologia@gmail.com , e em breve, também pelo Instagram, que a dupla pretende criar para estreitar o diálogo com os demais discentes.

Entomologia UFV atrai interesse de estudante argentina para doutorado sanduíche

Paula Gabriela Páez Jerez 1

A doutoranda em Ciências Biológicas Paula Gabriela Páez Jerez, da Universidade Nacional de Tucumán (Argentina), escolheu a UFV, mais precisamente o PPG em Entomologia, para realizar o seu estágio de doutoramento sanduíche. Ela permaneceu em Viçosa (MG) o período máximo que a sua bolsa de estudos permitia. Foram apenas seis meses, mas tempo suficiente para vivenciar uma rica experiência acadêmica e cultural. A escolha de vir para a Entomologia UFV foi motivada pelas boas referências que a estudante obteve: “Comecei a procurar mais informações e gostei muito das opções que a sua pós-graduação oferece”.

Com bolsa concedida pelo CONICET (Consejo Nacional de Investigaciones Científicas y Técnicas), no doutorado, Paula pesquisa sobre pragas emergentes na soja Bt, estudando a biologia e métodos de controle dos lepidópteros praga (complexo de Spodoptera sp.) na soja Bt. Na UFV, ela passou seis meses desenvolvendo experimentos no Laboratório de Interações Inseto-Planta, coordenado pelo professor Eliseu José Guedes Pereira.

Paula Gabriela Páez Jerez

O professor da Entomologia destaca: “Que eu saiba, ela é a primeira estudante da Argentina no nosso Programa e tem a particularidade de vir em DS sanduíche, o que é diferente, porque normalmente enviamos nossos estudantes para o exterior, mas raramente recebemos”.

A doutoranda chegou a Viçosa no dia 1º de junho. “O meu período na UFV foi maravilhoso. Gostei de tudo. Tive a oportunidade de conhecer gente boa demais que me ajudou durante todo o semestre. Além do que, pude fazer os experimentos e as disciplinas fixadas desde o começo (Toxicologia de Inseticidas, Seminário e Pesquisa). Graças a Deus não tive nenhuma dificuldade para me adaptar na UFV e na cidade de Viçosa. Todos sempre foram muito gentis comigo”.

No dia 1º de dezembro, a engenharia agrônoma formada pela Universidade Nacional de Tucumán se despediu de Viçosa e embarcou para o Rio de Janeiro, para conhecer um pouco mais o país que a recebeu de braços abertos para esse período de doutorado sanduíche. “Não conhecia o Brasil, foi a primeira vez que estive aqui. Estou apaixonada pelo país! Adorei o seu idioma, sotaque, a sua música, tudo!” – finaliza sem esconder todo o seu entusiasmo.

Paula Gabriela Páez Jerez 4