Fique por dentro das próximas defesas

_DSC5129

Nos próximos dias serão defendidas duas dissertações. Confira o calendário:

 Autor: Kleber de Sousa Pereira
Título: Competição larval do parasitoide gregário Palmistichus Elaeisis Delvare & Lasalle, 1993 (Hymenoptera: Eulophidae) em pupas de Diaphania hyalinata (Lepidoptera: Crambidae)
Data: 17/10/2014 (sexta-feira)
Horário: 14h
Local: Sala de reuniões da Entomologia
 Autor: Yeisson Gutiérrez López
Título: Morfofisiologia de ação e alterações comportamentais mediadas pelo inseticida piretróide deltametrina em insetos aquáticos
Data: 20/10/2014 (segunda-feira)
Horário: 8h30min
Local: Sala de reuniões da Entomologia

Entomologia UFV recebe estudantes de outras universidades brasileiras para intercâmbio acadêmico-científico

Sheila Tavares, Marcela Silveira e Renata Marques

“Aqui, além dos professores da UFV, a gente tem contato com pesquisadores do exterior. Acaba sendo um conhecimento internacional dentro do próprio Brasil”. Assim, a mestranda da Universidade Federal do Tocantins (UFT ), Renata Vieira Marques, descreve o intercâmbio acadêmico-científico que está fazendo no Programa de Pós-Graduação em Entomologia da UFV. Renata é aluna do mestrado em Ciências Florestais e Ambientais da UFT e está em Viçosa, onde deverá ficar por seis meses, cursando disciplinas e analisando os dados da pesquisa que desenvolve sobre controle biológico de ácaros-praga em pinhão-manso.

A professora assistente da UFT, Marcela Cristina A. C. da Silveira, também veio para a UFV desenvolver parte da sua pesquisa de doutorado. Além de docente, Marcela é estudante da UFT. Ela faz doutorado em Produção Vegetal e durante três meses vai trabalhar no Laboratório de Acaralogia, sob a orientação dos professores Angelo Pallini e Arne Janssen. Na UFT, Renata e Marcela são orientadas pelo professor Renato de Almeida Sarmento, egresso da Entomologia.

De acordo com Marcela, as disciplinas que está cursando na UFV são essenciais para a sua formação. Ela também ressalta o contato que teve com vários pesquisadores visitantes da Entomologia. Para Marcela, receber bem é uma característica da própria UFV, com destaque para a receptividade dos colegas: “Foi uma abertura natural do pessoal do Laboratório. Eles dão todo o apoio necessário. Mesmo antes de conhecê-los pessoalmente, eles já tiravam muitas dúvidas por e-mail”.

Marcela e Renata vieram à UFV pelo Programa Nacional de Cooperação Acadêmica (Procad) , que visa promover a consolidação de programas de pós-graduação, através da interação acadêmico-científica entre programas com conceito 3 ou 4 na CAPES e programas consolidados, com conceito 6 ou 7. Financiado pela CAPES, o Procad apoia o desenvolvimento de projetos de pesquisa conjuntos, em instituições distintas, e promove a mobilidade de docentes e discentes entre as equipes envolvidas. O Programa também busca contribuir para o equilíbrio regional da pós-graduação brasileira.

Além das duas estudantes da região Norte, atualmente, uma estudante nordestina faz intercâmbio na Entomologia. A doutoranda Sheila dos Santos Tavares saiu do estado de Alagoas no mês de maio deste ano, com destino à cidade de Viçosa, para dar continuidade à sua pesquisa sobre ecologia química em cana-de-açúcar. Sheila faz doutorado em Química e Biotecnologia na Universidade Federal de Alagoas (UFAL) e desenvolve seus experimentos no Laboratório de Semioquímicos da UFV, coordenado pelo professor Eraldo Rodrigues de Lima.

Sheila destaca que a cooperação entre as universidades facilita o seu trabalho e amplia o seu conhecimento com a influência de diferentes áreas. “Trabalho com ecologia química e estou adquirindo um conhecimento interdisciplinar: o meu orientador na UFAL, o professor Antônio Euzébio Goulart Santana, é químico, e o professor Eraldo é agrônomo. Tenho contribuições de lá e daqui”.

Essa é a segunda vez que Sheila faz intercâmbio na UFV. Através do Procad, durante o seu mestrado em Agronomia pela UFAL, Sheila passou seis meses desenvolvendo pesquisas no Laboratório de Virologia Vegetal Molecular, sob a orientação do professor do Programa de Pós-Graduação em Fitopatologia da UFV, Francisco Murilo Zerbini.

Novo site da Entomologia completa um ano

Site notícias Entomologia UFV

Há pouco mais de um ano, o Programa de Pós-graduação em Entomologia lançava o seu novo site e juntamente com ele, um desafio: mantê-lo atualizado com notícias que reflitam as ações e a participação das pessoas que fazem parte da história da Entomologia. Utilizando uma linguagem acessível e textos leves, a proposta é dialogar com orientadores e estudantes do próprio Programa e com pessoas da UFV, de outras universidades brasileiras e de outros países também.

De acordo com o professor Simon Luke Elliot, coordenador da pós-graduação, por meio do site busca-se atrair bons estudantes e fornecer o máximo de informações possível. Ele destaca que o site seja vivo e atual, refletindo as ações da Entomologia e integrando o grupo, de maneira que as pessoas saibam o que os colegas estão fazendo e contribuam sugerindo temas para serem divulgados.

Mas sabia que nem sempre isso acontece? Às vezes, ações bem interessantes que poderiam ser divulgadas por aqui acabam não sendo. Para evitar que isso aconteça, sempre que participar ou souber de algum acontecimento interessante relacionado ao Programa de Pós-graduação em Entomologia da UFV, envie uma sugestão de notícia para o e-mail site.entufv@gmail.com.

Apresentou trabalho em um evento, publicou um artigo, recebeu um prêmio, fez intercâmbio, participa de um projeto de pesquisa inovador, nos envie um e-mail, que teremos o maior prazer em divulgar a sua experiência ou a de algum outro colega. Também vale sugerir temas pela nossa página no Facebook, é só deixar uma mensagem inbox que retornaremos o contato. Fica a dica!

Andef disponibiliza gratuitamente guias de bolso sobre diversas pragas agrícolas

QR Livros Andef

A Associação Nacional de Defesa Vegetal (Andef), em parceria com a Agropec, acaba de lançar o QR-Livro sobre 100 espécies de pragas que atacam culturas de frutas tropicais como abacaxi, banana, caju, coco, goiaba, mamão, manga, melancia, melão e uva. Anteriormente, já haviam sido lançadas duas edições: a primeira sobre tomate, pimentão, batata, pepino e cenoura, e a segunda edição sobre milho e sorgo. Os livretos podem ser acessados gratuitamente no portal Defesa Vegetal. Alguns exemplares da versão impressa dos QR-Livros estão disponíveis para distribuição na secretaria do Programa de Pós-Graduação em Entomologia.

Em cada página do guia de bolso tem um código QR que ao ser lido através de um aplicativo instalado num smartphone ou tablet conectado à internet, leva o usuário à ficha sobre o inseto, ácaro, fungo, vírus, procarionte, nematoide ou planta invasora. Os QR-Livros sobre milho e sorgo, hortaliças e frutas tropicais somam mais de 250 fichas de pragas com informações resumidas sobre biologia, formas de reconhecimento em campo e orientações gerais sobre manejo e ingredientes ativos registrados para controle da praga em cada cultura, segundo  o Agrofit.

Além de ter acesso às informações no portal, os usuários podem colaborar enviando fichas sobre pragas e imagens originais ou sugerindo a revisão de conteúdo. O portal Defesa Vegetal foi lançado pela Andef, em maio deste ano, com o objetivo de “promover o uso correto e seguro dos defensivos agrícolas através do incentivo à adoção de boas práticas”. A Andef representa as indústrias que atuam em pesquisa e desenvolvimento de defensivos agrícolas no Brasil.

Estudante da UFV faz a melhor apresentação na sessão oral de Polinização do Congresso Brasileiro de Entomologia

Apresentação oral CBE 2014_Conrado Denadai

O estudante do curso de Agronomia da UFV, Conrado Augusto Rosi Denadai, foi premiado por ter feito a melhor apresentação da sessão oral de Polinização durante o XXV Congresso Brasileiro de Entomologia, realizado em Goiânia. Conrado apresentou o trabalho “Age- and environmentally mediated brain plasticity in the native bee Melipona quadrifasciata”.

Nesse trabalho foi verificado que abelhas nativas sem ferrão têm uma grande capacidade plástica cerebral. Em outras palavras, o cérebro dessas abelhas consegue se adaptar a ambientes com diferentes graus de complexidade. Segundo Conrado, “como consequência, conclui-se que essas abelhas conseguem aprender desde as tarefas mais simples a serem efetuadas dentro da colônia até executar tarefas mais complexas que exigem grande memória e assimilação de diferentes estímulos. Isso já tinha sido verificado em abelhas europeias do mel, mas a fauna nativa do Brasil permanecia desconhecida até então”.

Conrado destaca a importância de se conhecer o potencial neuronial e de aprendizado dessas abelhas, uma vez que “elas são importantes polinizadores de espécies nativas e de culturas agrícolas no Brasil. Além disso, elas compõem um bom modelo para se entender a plasticidade cerebral, importante mecanismo de aprendizado que acontece em invertebrados e vertebrados, inclusive em humanos”.

Esse foi o segundo trabalho premiado do estudante. Em 2013, Conrado conquistou uma premiação no Canadá, durante o Research Day, realizado pela Carleton University. Na ocasião, a Bio-Rad Laboratories, uma das empresas patrocinadoras do evento, concedeu a Conrado um prêmio pela apresentação do pôster “Amphion floridensis and the Backthroat Boys: How are these caterpillars producing sound?”.

Questionado sobre a sensação de ter dois trabalhos reconhecidos ainda na graduação, Conrado é enfático: “eu me esforcei bastante, não só durante a execução, mas também para montar apresentações que fossem atraentes para o público. Eu acho que se alguém dedica tempo e atenção a um trabalho meu, eu tenho que fazer o possível para compensá-lo com conhecimento e animação. No entanto, o momento da apresentação é só a ponta do iceberg, que aparece para quem assiste. Por trás de cada projeto tem uma equipe de vários pesquisadores contribuindo com ideias e trabalho. O reconhecimento na forma de premiação é ótimo, mas o êxito foi de todos”.

Sobre o trabalho premiado durante o XXV Congresso Brasileiro de Entomologia, Conrado ressalta a participação dos colegas do Laboratório de Ecotoxicologia, Hudson Ventura Tomé, Wagner Faria Barbosa e Rodrigo Cupertino: “Eles tiveram participação plena”.