Normas | Regulations

As this document is updated on occasion, we do not maintain a copy in English, to avoid introducing errors. If you have any queries, please contact us.

REGIMENTO INTERNO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENTOMOLOGIA

CAPÍTULO I

Dos Objetivos e Organização Geral

Art. 1º – O Programa de Pós-Graduação em Entomologia tem por objetivo a formação de recursos humanos para o exercício de atividades de magistério superior, pesquisa e desenvolvimento com aprofundamento do conhecimento em Entomologia e suas interfaces, em nível de Mestrado (MS) e Doutorado (DS).

Art. 2º – A organização e funcionamento do Programa obedecem às normas do Regimento de Pós-Graduação da UFV e às normas adicionais deste Regimento Interno.

Art. 3º - O Mestrado e Doutorado terão duração máxima de 24 (vinte e quatro) e 48 (quarenta e oito) meses, respectivamente, contados a partir da data da admissão.

            Parágrafo único - Excepcionalmente, por recomendação do orientador e com a aprovação da Comissão Orientadora do discente e da Comissão Coordenadora do Programa, extensão de prazo poderá ser concedida até o limite máximo de 3 (três) e 5 (cinco) anos, como estabelecido no Regimento de Pós-Graduação da UFV.

CAPÍTULO II

Dos Orientadores

 Art. 4º - Comporão o corpo de Orientadores do Programa, os professores credenciados pela Comissão Coordenadora do mesmo.

Art. 5º – O credenciamento terá validade trienal e para ser credenciado como orientador do Programa de Pós-Graduação em Entomologia, o candidato a orientador deverá satisfazer às exigências do Regimento de Pós-Graduação da UFV e, em consonância com este, deverá atender aos seguintes critérios:

            1 – Ter produção científica relevante e consistente com o enquadramento do Programa em nível máximo (i.e., 7) junto à CAPES, com base em média trienal e periódicos classificados como A1, A2 ou B1 pelo QUALIS/CAPES e Fator de Impacto consistente com classificação e conceitos pretendidos (Ciências Agrárias).

            2 – Atuar em disciplinas anuais regulares do Programa de Pós-Graduação em Entomologia e em disciplina(s) de Graduação.

        3 – Submeter à Comissão Coordenadora um Programa Analítico de uma disciplina regular, em nível de Pós-Graduação, para o Programa de Pós-Graduação em Entomologia.

            4 – Ser coordenador de ao menos um projeto de pesquisa aprovado por agências de fomento à pesquisa nacional ou internacional durante o triênio de avaliação.

Art. 6º – Os orientadores que não atenderem ao disposto no Art. 5º não serão recredenciados como Orientador do Programa até que tais critérios sejam satisfeitos.

Art. 7º – O professor poderá orientar, ao ano, no máximo 8 estudantes (com bolsa de estudos do Programa), indiferente do nível, Mestrado e Doutorado. Acima de 8 e no máximo 12 estudantes, somente em casos justificados e aprovados pela Comissão Coordenadora.

            Parágrafo único – O Orientador que for contemplado com bolsa concedida diretamente ao Orientador por instituições de fomento, poderá receber como orientados até dois discentes adicionais a serem agraciados com estas bolsas.

Art. 8º – Os orientadores que porventura não atenderem aos critérios mínimos de produção científica anual da CAPES para Programas de conceito máximo (i.e., 7), não receberão orientados nas seleções dos anos subsequentes até que este patamar mínimo de produção científica seja atingido anualmente.

CAPÍTULO III

Da Comissão Orientadora

Art. 9º - A Comissão Coordenadora do Programa indicará um orientador para cada estudante, até o final do primeiro período da matrícula do discente, compatibilizando os interesses do discente, e do possível orientador, com os do Programa.

            § 1º - O Orientador deverá manifestar-se formalmente sobre seu interesse quanto à orientação do discente.

           § 2º - O Orientador deverá indicar o(s) co-orientador(es) a compor(em) a Comissão Orientadora do estudante, caso a participação deste(s) seja pretendida.

CAPÍTULO IV

Da Bolsa

Art. 10º – A Coordenação do Programa indicará o estudante como beneficiário de bolsa concedida por agência financiadora, de acordo com a disponibilidade destas.

Art. 11º – A duração da bolsa poderá ser reduzida, a critério da Comissão Orientadora.

Art. 12º – A concessão da bolsa implica em dedicação exclusiva ao Programa, em tempo integral, e sem direito a férias.

            § 1º - Ausência do discente da sede do Programa deve ser comunicada por escrito e autorizada pelo Orientador, com ciência à Coordenação do Programa.

Art. 13º- O trancamento de matrícula é motivo de suspensão imediata da bolsa.

CAPÍTULO V

Da Proficiência em Língua Estrangeira

Art. 14º – Além de satisfazer aos requerimentos de língua estrangeira que figuram no Regimento da Pós-Graduação da UFV, o discente candidato ao doutorado deve ainda satisfazer aos requerimentos adicionais de proficiência de língua inglesa do Programa de Pós-Graduação em Entomologia.

            § 1º - A proficiência de língua inglesa deverá ser atestada para o Programa por realização de exame de proficiência com pontuação equivalente a 500 pontos do TOEFL – “Paper Based” ou 160 pontos TOEFL – “Computer Based”.

              § 2º - Alternativamente, o discente deve comprovar a publicação de dois artigos em inglês, de sua autoria e com filiação ao Programa, em periódicos científicos classificados como A1, A2 ou B1 pelo QUALIS/CAPES.

                §3º - A Coordenação do Programa poderá utilizar a prova de seleção do processo seletivo regular como exame de suficiência em língua estrangeira.

CAPÍTULO VI

Do Exame de Qualificação

Art. 15º - O objetivo do Exame de Qualificação é avaliar se o discente possui formação científica e cultural condizente com a de um candidato ao título de doutor.

Art. 16º – Todo o discente vinculado ao Programa de Doutorado em Entomologia deverá realizar e obter aprovação no Exame de Qualificação até o final do 6º período de sua admissão no Programa.

            Parágrafo único – O descumprimento do prazo estabelecido no caput deste artigo implicará conceito “N” em Pesquisa semestralmente, até que o requerimento seja satisfeito ou o discente seja desligado do Programa.

Art. 17º – O Exame de Qualificação constará de duas etapas, uma escrita e uma oral, versando sobre um mínimo de 5 (cinco) áreas de conhecimento inerentes ao título pretendido e a atuação profissional visada.

            § 1º - A porção escrita do Exame de Qualificação deverá anteceder a porção oral do exame e não deverá exceder 45 dias de execução.

            § 2º - A porção oral do Exame de Qualificação só ocorrerá mediante aprovação do discente na porção escrita do mesmo.

            § 3º – Só uma tentativa adicional será permitida ao discente no caso de reprovação na primeira tentativa.

           § 4º – A condição em que a segunda tentativa de qualificação for buscada, se total ou parcial, será determinada por sua Banca de Qualificação em consonância com a Comissão Coordenadora do Programa.

          § 5º – A suspensão do Exame de Qualificação iniciado equivale à reprovação no mesmo e conseqüente emissão de conceito “N” em pesquisa, com subseqüente marcação da segunda tentativa após transcorrido período mínimo de 1 (um) mês.

CAPÍTULO VII

Das Bancas Examinadoras

Art. 18o – Um mínimo de 3 (três) doutores deverá participar do Exame de Defesa de Dissertação de Mestrado, devendo pelo menos 1 (um) membro ser externo ao Programa e não pertencer à Comissão Orientadora do discente.

Art. 19º – Um mínimo de 5 (cinco) doutores deverá participar do Exame de Qualificação do discente vinculado ao Programa de Doutorado, cada um representando uma área diferente de avaliação do mesmo.

Art. 20º – Um mínimo de 5 (cinco) doutores deverá participar do Exame de Defesa de Tese de Doutorado, devendo pelo menos 1 (um) membro ser externo ao Programa e 1 (um) membro externo à Universidade Federal de Viçosa sem que qualquer um deles pertença à Comissão Orientadora do candidato ao Doutorado.

CAPÍTULO VIII

Do seminário

Art. 21º – A disciplina Seminário conferirá, em cada nível, 2 (dois) créditos, o que não será contado no coeficiente de rendimento, e será considerado para integralizar o mínimo de créditos exigidos pelo Programa.

CAPÍTULO VIII

Das Disposições Finais

Art. 22º – Os casos omissos nesse Regimento Interno e no Regimento de Pós-Graduação da UFV serão resolvidos pela Comissão Coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Entomologia.

Regimento aprovado pela Comissão Coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Entomologia em sua reunião de 11 de Outubro de 2013 (Ata 170, aprovada em 27/11/2013).

Viçosa, 10 de Dezembro de 2013