Projeto promove popularização do conhecimento agroecológico

1

Visando contribuir com o desenvolvimento rural sustentável e, por consequência, diminuir as desigualdades sociais, desde outubro de 2018, vem sendo desenvolvido o projeto “Popularização do Conhecimento Técnico, Científico e Tradicional de Práticas Agroecológicas”. Por meio da realização de caravanas, minicursos e troca de saberes, ao longo de um ano, 24 municípios de Minas Gerais receberão atividades do projeto. Só no último evento, realizado no dia 2 de maio, no município de Oratórios (MG), o projeto reuniu 180 participantes.

IMG-20190506-WA0007Voltado para estudantes do ensino médio de escolas da zona rural, mulheres organizadas em associações, moradores de comunidades rurais e estudantes de instituições técnicas agrícolas e agropecuárias, o projeto pretende levar ao conhecimento do público, tecnologias científicas geradas a partir de pesquisas em agroecologia. De acordo com a orientadora do PPG em Entomologia e coordenadora do projeto Madelaine Venzon “as práticas pedagógicas para transferência de informações técnico-científicas são realizadas através da exposição teórica do assunto a ser abordado, ilustrações com fotografias e figuras, demonstrações práticas para auxiliar o entendimento do conteúdo teórico exposto, metodologia participativa e instalação pedagógica com práticas educativas em agroecologia”.

4A pesquisadora destaca que “a agroecologia é ciência, prática e movimento. Esse enfoque tríplice tem contribuído significativamente para importantes demandas da sociedade, como a conservação da biodiversidade e dos recursos naturais, a segurança e a soberania alimentar, a redução do uso de agrotóxicos e o desenvolvimento rural sustentável. No entanto, há ainda muito espaço e necessidade de diálogo entre os pesquisadores, técnicos, agricultores e a sociedade em geral. Muito do conhecimento produzido nas instituições de pesquisa e nas universidades na área de agroecologia precisa ser compartilhado com técnicos e agricultores. Da mesma forma, o contato entre as partes possibilita a divulgação, investigação e validação do conhecimento tradicional dos agricultores”.

3Nos próximos meses, serão desenvolvidas atividades do projeto nos municípios de ViçosaBelo HorizonteSão João del Rei e nas regiões Norte e Triângulo Mineiro. Segundo a orientadora do PPG em Entomologia, “Minas Gerais possui grande extensão territorial, havendo disparidades socioeconômicas entre as diferentes regiões do estado. A região norte, por exemplo, sofre com a seca e a ausência de políticas públicas eficazes, sendo uma das áreas mais pobres do país, apresentando déficit nos serviços de saneamento ambiental, elevada taxa de mortalidade infantil e alto índice de analfabetismo. Apesar da existência de importantes instituições de ensino, pesquisa e extensão em todo o estado de Minas Gerais, grande parte da população ainda desconhece as pesquisas realizadas e as tecnologias geradas por tais instituições. A popularização da ciência surge então como uma ferramenta para levar informações importantes sobre a biodiversidade na agricultura, um sistema de cultivo agrícola sustentável e socialmente justo aliado à preocupação com a segurança alimentar”.

Desenvolvido pela Epamig, em parceria com Institutos Federais, Universidades e ONGs, o projeto também conta com a participação de técnicos da Emater e das estudantes do PPG em Entomologia da UFV Elem Fialho MartinsMayra Loss FranzinJessica BottiThais Coffler e Fernanda Andrade, orientandas da pesquisadora Madelaine Venzon.

2

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>