Boas oportunidades de trabalho podem estar também nas empresas privadas

Renata Campos
Doutora em Entomologia pela UFV, a professora Renata Campos compartilha um pouco da sua experiência docente numa universidade particular.

O ministro interino do Planejamento informou na última terça-feira, dia 7, que não serão autorizados novos concursos públicos neste ano, tampouco em 2017. Somente aqueles concursos que já estavam autorizados serão realizados. Diante disso, a iniciativa privada passa a ser, mais do que nunca, uma porta de entrada a ser considerada para o mercado de trabalho. De acordo com dados levantados em 2013, apenas 6,1% dos doutores egressos do PPG em Entomologia estavam empregados em empresas privadas de ensino, pesquisa e extensão. Mas quem atua nessas instituições garante que existem boas oportunidades a serem exploradas.

Desde 2014, a doutora em Entomologia Renata Bernardes Faria Campos é professora de uma universidade privada. Ela avalia: “Muitas pessoas, especialmente aquelas que, como eu, se formaram em universidades públicas, alimentam um sonho de trabalhar numa instituição pública. De fato, muitos dos colegas com quem me graduei trabalham nesse tipo de instituição. Entretanto, eu sempre trabalhei no ensino superior privado. Atualmente, existem muitas faculdades e universidades particulares que primam pela excelência e investem em pesquisa e extensão para além do ensino. A minha experiência mostra que não é uma possibilidade a ser desconsiderada por quem está concluindo a pós-graduação. Existem ótimas oportunidades e assim como nas instituições públicas, demandam empenho na entrada, mas o empenho em manter-se deve ser contínuo, já que não há estabilidade”.

Toda a formação acadêmica de Renata ocorreu na UFV, onde ela se formou em Ciências Biológicas e fez mestrado e doutorado em Entomologia, sob a orientação do professor José Henrique Schoereder. Atuando na cidade de Governador Valadares (MG), Renata integra o corpo docente da Universidade Vale do Rio Doce (Univale). Ela dá aulas para a graduação e a pós, e descreve um pouco dessa vivência: “No mestrado eu ministro disciplinas ligadas à temática ambiental e oriento alunos cuja dissertação trata desse assunto. Atualmente, participo de um projeto em parceria com a Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP), onde investigamos processos naturais, por meio da utilização de insetos como modelo ecológico, ou seja, utilizamos variações nas comunidades de formigas como resposta a mudanças ambientais. Na graduação, não é diferente, porque eu ministro disciplinas ligadas à Ecologia, Conservação e Entomologia, que tratam de assuntos diretamente relacionados ao que faço no mestrado. Além disso, alunos da graduação participam da pesquisa como bolsistas de Iniciação Científica”.

Sobre a sua rotina como professora universitária, Renata destaca que a profissão requer outras habilidades além do domínio de conteúdos: “Para conciliar as atividades de pesquisa com a rotina da sala de aula, é preciso muita disciplina e planejamento. Em muitas ocasiões as atividades de sala potencializam a pesquisa e vice-versa. A relação com os alunos é um desafio e ao mesmo tempo, um prazer. Com os meus alunos eu tenho aprendido muitas coisas desde que ingressei na docência”.

Aprendizado extraclasse

Renata também tem proporcionado aos seus alunos muito aprendizado, que, às vezes, extrapola os limites da sala de aula. Uma prova disso aconteceu na última sexta-feira, dia 3, quando a professora trouxe à UFV um grupo de estudantes da Univale. Essa foi a segunda visita à UFV que Renata organizou para os seus alunos. Em outubro de 2015, outro grupo de estudantes também visitou o Departamento de Entomologia.

“No ano passado, um aluno apresentou um trabalho no Simpósio de Entomologia que aconteceu na UFV. Nessa ocasião, surgiu a ideia de levar um grupo de alunos da Univale para conhecer o Departamento de Entomologia. Professores (especialmente, o professor Marcelo Picanço) e alunos (especialmente, o doutorando Paulo Santana Júnior), envolvidos no planejamento das atividades, foram muito cuidadosos, solícitos e nos receberam de forma excelente. Então, a visita foi um sucesso e fizemos novamente, agora, com a ajuda de outros professores (especialmente, o professor Eugênio E. Oliveira) e estudantes” – comenta a professora.

Durante a última visita ao Departamento de Entomologia, foi apresentada aos estudantes da Univale uma introdução ao “Mundo dos Insetos”, abordando tópicos como: Importância dos insetos; Por que os insetos são tão diversos; Como os insetos são capazes de colonizar ambientes inóspitos; O que diferencia os insetos de outros artrópodes; Principais grupos (ordens) de insetos; e Como os insetos podem afetar negativa e positivamente o ser humano.

Panorama

Nesse dia, os alunos da professora Renata também visitaram alguns laboratórios, como: o Insetário do Departamento de Biologia Geral (criação de Aedes aegypti), o Laboratório de Fisiologia e Neurobiologia de Invertebrados (insetos aquáticos), o Laboratório de Manejo Integrado de Pragas Agrícolas (criação de insetos-praga), o Insetário do Departamento de Entomologia (formigas e cupins), o Museu Regional de Entomologia (principais ordens de insetos) e o Laboratório de Ecotoxicologia (criação de pragas da soja e grãos armazenados). Na galeria abaixo você pode conferir um pouco da visita realizada no dia 3 de junho.

Leia também:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>