Perfil: Clébson dos Santos Tavares

Clébson dos Santos Tavares
Clébson exibe o certificado recebido pelo seu excelente desempenho no curso de Agronomia.

Ser o primeiro de oito irmãos, filhos de pais analfabetos, a concluir um curso superior é motivo de orgulho para qualquer um. Se formar em uma das melhores universidades do país na área de Ciências Agrárias, também. Ainda mais, ser reconhecido como o melhor estudante entre os formandos do curso de Agronomia e ser homenageado pelo seu excelente desempenho acadêmico. E para completar, concluir a graduação já aprovado em primeiro lugar para dois mestrados, ambos em programas de pós-graduação com elevado conceito na Capes. Essa é só uma parte da história protagonizada pelo alagoano Clébson dos Santos Tavares, um dos mais novos mestrandos em Entomologia da UFV. Ele ainda nem começou o mestrado, mas já tem todos os dados da sua dissertação coletados.

Agrônomo recém-formado pela UFV, Clébson decidiu por cursar Agronomia basicamente pelo seu estreito contato com a agricultura desde a infância. “Os meus pais são agricultores e, quando criança, eu os ajudava na condução das atividades no pequeno terreno da família. Diferentemente de outros que gostariam de se livrar da agricultura, eu a vi como uma atividade rentável e de importância basilar para a humanidade. Por isso, ingressei no curso de Técnico Agrícola integrado ao ensino médio, no Instituto Federal de Alagoas (IFAL), onde conheci professores que são ex-alunos da UFV. Não tenho dúvidas que ingressar no IFAL foi até então umas das principais escolhas que fiz. Falo isso porque a partir dessa escolha cheguei à Universidade Federal de Viçosa”.

Natural da cidade de Traipu, no estado de Alagoas, Clébson mudou-se para Viçosa em 2011, para estudar na UFV, abrindo mão de uma vaga na Universidade Federal de Alagoas (UFAL) e na Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ), onde também havia passado. Quando soube da sua aprovação na UFV, para Clébson, Viçosa lhe pareceu ainda mais distante do que de fato já é da sua cidade. E não foi apenas pela distância geográfica entre os estados, mas pelas dificuldades financeiras que o impediam de mudar-se para o interior de Minas. “Ao receber a notícia de que havia passado na UFV procurei por lugares para ficar, e, na maioria deles (hotéis), as diárias eram superiores à renda da minha família durante um mês. No primeiro momento, parecia que eu não conseguiria, tanto é que me matriculei no curso de Agronomia na UFAL” – conta.

Mas “quem tem amigos nunca está sozinho”, e foram os amigos do IFAL que o ajudaram a realizar o sonho de estudar na UFV. No IFAL, campus Satuba, Clébson não fez apenas o  Técnico Agrícola integrado ao ensino médio. Lá, ele também fez bons amigos, dentre eles, especialmente, os professores Luciano de Holanda e Ângela Froehlich. “O professor Luciano me encorajou e juntos corremos atrás de um sonho, financeiramente impossível. Conseguimos uma pessoa para fazer a matrícula em Viçosa com a ajuda do professor Claudivan Costa de Lima, que foi o meu orientador de iniciação científica no IFAL. Confirmada a matrícula, restava-nos encontrar um lugar onde morar. Bom, conseguimos! A professora Ângela Froehlich fizera contato com uma amiga do mestrado e pediu para que ela me recebesse em Viçosa até que eu conseguisse alojamento. Prontamente, a Rosineia de Paula, seus pais e irmãos me receberam. E lá fiquei por aproximadamente 60 dias. A ‘Família de Paula’ foi essencial para a minha estadia e permanência na cidade. Eu os considero como a minha família de Viçosa. Passava os domingos, feriados e datas comemorativas na casa deles, e com muita brincadeira e respeito, construímos uma amizade verdadeira e, certamente, duradoura”.

Além da “Família de Paula”, Viçosa também lhe deu outras famílias. “Eu não poderia deixar de mencionar a ‘Família UFV’. A Universidade com seus programas de assistência estudantil evita que muitos alunos que vivem uma realidade financeira como a minha desistam de concluir um curso de graduação por falta de condições”. Clébson ganhou ainda a “Família Interação Inseto-Planta”, a qual ele passou a integrar logo no primeiro período, quando começou a estagiar no laboratório coordenado pelo professor Eliseu José Guedes Pereira. “Aqui, obtive recursos, conhecimento e fiz grandes amizades. A confiança do professor Eliseu no meu trabalho resultou em quatro bolsas de iniciação e participação em diversos trabalhos científicos. Aqui, aprendi os primeiros passos da experimentação, que para mim é simplesmente fascinante”. Além da importância do professor Eliseu e dos demais integrantes do Laboratório de Interação Inseto-Planta, Clébson destaca a participação do doutor Oscar Fernando Santos Amaya: “Também aprendi muito com o Oscar. A parceria consolidada com ele durante a minha graduação resultou em importantes publicações e muito aprendizado”. E também rendeu a Clébson, em 2014, o Prêmio Arthur Bernardes – Mérito em Pesquisa, por um trabalho de iniciação científica apresentado no Simpósio de Integração Acadêmica (SIA).

 Formatura na “Família Tavares”

Na última formatura da UFV, na cerimônia realizada no dia 29 de janeiro, 400 formandos dos centros de ciências Agrárias (CCA) e Exatas e Tecnológicas (CCE) colaram grau. Clébson era um deles. “De fato, a formatura é um momento único na vida de cada formando. Para mim, foi mais significativo ainda porque estive com a minha família e eles tiveram a oportunidade de ver o primeiro filho e irmão a se formar em uma universidade federal. Agradeço pela oportunidade que faltou à maioria dos meus irmãos. A grande mensagem que espero ter transmitido, e por isso o motivo da minha alegria e entusiasmo, é que tudo é possível, todos podem! E farei o possível para que esta seja apenas a primeira das muitas formaturas na Família Tavares”- assegura.

Dentre os 400 formandos, 23 se destacaram porque obtiveram conceito igual ou maior a 85, e foram homenageados. Clébson também foi um deles, o melhor aluno do curso de Agronomia. Ele acredita que premiar os melhores é sem dúvida um grande incentivo à busca pela excelência: “durante estes cinco anos de graduação, eu sempre busquei dar o meu melhor. Eu me senti na obrigação de retribuir todo o esforço e a confiança que a minha família e amigos haviam depositado em mim. A homenagem foi o resultado de muito esforço e responsabilidade. Apesar de importante e necessária, poder-se-ia inserir outros parâmetros que não somente o coeficiente de rendimento acumulado. Não tenho dúvidas que, dentre os meus colegas não homenageados, há muitos merecedores de tal feito, se considerado outras variáveis. ‘A sensação ao receber o prêmio foi simplesmente digna do meu silêncio por não ter palavras para descrevê-la. Foi um prêmio recebido por um, mas em nome de muitos! Pois muitos foram aqueles que contribuíram para esta conquista’”.

Concluída a graduação, agora, Clébson dá os primeiros passos rumo ao mestrado. Aprovado em primeiro lugar nos processo seletivos dos programas de pós-graduação em Entomologia e em Genética e Melhoramento Vegetal, ambos na UFV, Clébson optou por permanecer na Entomologia. “Cheguei ao departamento ainda no primeiro período de Agronomia. Aprendi a gostar de entomologia. Aqui, as pessoas são boas no que fazem. Temos importantes profissionais internacionalmente reconhecidos. Não tenho dúvidas de que estou em boas mãos” – afirma.

Integrando o grupo do professor Eliseu há mais de quatro anos, Clébson vai dar continuidade durante o mestrado, ao estudo do manejo da resistência de S. frugiperda em plantas transgênicas. “Especificamente no meu trabalho de mestrado, queremos conhecer o comportamento larval de S. frugiperda nos diferentes tipos de refúgio existentes para o manejo da resistência (por exemplo: estruturado e mistura de sementes). Esta pesquisa tentará preencher algumas lacunas existentes neste assunto, o que seguramente contribuirá no desenho de estratégias apropriadas para retardar o surgimento de populações resistentes desta espécie” – explica. Sobre o que virá depois do mestrado, Clébson é certeiro: “pretendo seguir no doutorado e, por fim, ser professor de uma universidade ou instituto federal”.

Histórias como a de Clébson, marcadas pelo empenho e superação, nos levam a pensar se existiria ou não uma fórmula para o sucesso. Sempre aplicado, ele é objetivo ao se definir como “um cara centrado, tentando ser o máximo possível profissional”. E completa: “A minha profissão até então é estudante e, portanto, devo desempenhá-la com maestria. Apesar das conquistas, tenho limitações, muito ainda preciso melhorar. De maneira geral, tento conhecer a mim mesmo, não me exalto nem me julgo o pior, apenas busco a melhoria. Stephen Hawking, importante cientista da atualidade, diz que ‘o maior inimigo do conhecimento não é a ignorância, mas a ilusão do conhecimento’. Esta frase resume bem o que eu acho de quase tudo da ciência e da vida, e justifica a necessidade de se manter humilde diante de qualquer vitória. Não sairemos do lugar se pensarmos que atingimos a excelência”.

Foto: Daniel Sotto Maior

One Comment on “Perfil: Clébson dos Santos Tavares

  1. Clébson é estudante que simboliza a integração entre graduação e pós-graduação, tão incentivada pela CAPES e demais agências preocupadas com a formação de pessoal de nível superior. Ele foi supervisionado por um doutorando durante os quatro bolsas de Iniciação Científica na UFV e sempre procurou se envolver em atividades extracurriculares. Estou feliz porque a ciência, e mais especificamente a entomologia, tem seu a dispor um grande trabalhador com alto potencial para se tornar uma referência para gerações futuras de jovens brasileiros. Parabéns Clébson, Familiares e Amigos.

    Eliseu Pereira

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>