Carreira docente oferece oportunidades e desafios profissionais

Aula de campo professora Sabrina Almeida

A expansão do ensino superior brasileiro nos últimos anos e a consequente demanda por professores nas universidades federais tem atraído muitos profissionais para a carreira docente. Para se ter ideia, tomando como base apenas a Entomologia, de acordo com dados apurados em 2013,  49% dos doutores egressos estão empregados em instituições públicas de ensino superior. Mas essa oportunidade de inserção profissional  traz seus desafios, sobretudo no início da carreira.

Preparar e ministrar disciplinas, desenvolver pesquisas, participar de reuniões, atender aos alunos e cumprir a burocracia fazem parte de uma rotina que a professora Sabrina da Silva Pinheiro de Almeida conhece bem. Trabalhando no Campus da UFV Rio Paranaíba desde fevereiro de 2013, Sabrina compartilha um pouco da sua experiência docente: “O primeiro ano como professora você vive para preparar aulas. Tudo é muito novo e cada dia dentro da sala de aula é de aprendizado. Mas passado o primeiro momento, fica mais natural e prazeroso, pois você já sabe o que esperar. O que ninguém conta é a grande parte da burocracia necessária para que as coisas funcionem. Toma tempo e paciência, pois muitas vezes você tem que deixar de se dedicar ao ensino e à pesquisa para cuidar de papéis”.

Bióloga formada pela Universidade Federal de Ouro Preto, Sabrina fez mestrado na Universidade Federal de Lavras e doutorado e pós-doc em Entomologia, na UFV, sob a orientação do professor Carlos Sperber. Desde o mestrado ela pesquisa sobre a ecologia de besouros escarabeíneos, popularmente conhecidos como besouros rola-bosta. Em Rio Paranaíba, a professora Sabrina dá aulas para o curso de graduação em Ciências Biológicas, onde ministra várias disciplinas, como Ecologia Geral, Ecologia de Populações, Ecologia de Comunidades, Biogeografia, Educação e Interpretação Ambiental  e Trabalho de Conclusão de Curso I e II.

A professora  explica que como o Campus é relativamente novo, os professores ainda não conseguem ministrar apenas as disciplinas em que são especialistas e isso é “desgastante”. No que se refere às pesquisas, a professora Sabrina tem desenvolvido projetos de Iniciação Científica com alunos do curso de Ciências Biológicas, dando continuidade à linha que ela já trabalhava no doutorado e pesquisando sobre ecologia de outros organismos detritívoros em áreas de Cerrado da Região do Alto Paranaíba.

As atividades acadêmicas da UFV em Rio Paranaíba tiveram início no segundo semestre de 2007. Atualmente, o Campus oferece 12 cursos de graduação e um curso de pós-graduação, o mestrado acadêmico em Produção Vegetal.  De acordo com a professora Sabrina, “trabalhar em um campus novo traz grandes desafios, especialmente no que diz respeito à infraestrutura, como falta de equipamentos e laboratórios. Porém, trabalhar em um campus novo nos traz coisas boas também, como pessoas novas na carreira, com muito pique para o trabalho. Participar da construção daquilo que você acredita ser certo, ao invés de entrar em um sistema pré-estabelecido”.

Além da professora Sabrina, mais três egressos da Entomologia também atuam no Campus da UFV Rio Paranaíba, os docentes: Ézio Marques da Silva, Flávio Lemes Fernandes e Vinícius Albano Araújo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>